Minha lista de blogs

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

VANDINHO SECRETÁRIO DE ESPORTES E LAZER, O HOMEM CERTO NO LUGAR CERTO


Um jovem Deputado de rara inteligência política, um homem de fé, trabalho e esperança. Vandinho acredita que Deus vai iluminar as cabeças de Audifax e Sérgio Vidigal, para trocar o chip da briga eleitoral e da disputa pelo poder a qualquer custo, pelo chip da solidariedade e ajuda mutua para ver o lado dos mais prejudicados nessa história, o povo serrano de modo geral. A serra tem hoje 30% da bancada dos 10 deputados federais e mais dois deputados estaduais que viraram secretários de Estado. Tudo que o município não precisa é de uma briga política de suas elites puramente pela disputa por mais e mais poder. Um quer emplacar a família toda na política e o outro quer derrubar essa família na prefeitura.
Isso me lembra da época de uma grande polarização entre os Miguéis e Castelos. A sociedade serrana viu no jovem Naly Miranda a renovação daquelas estruturas arcaicas. A fala qualitativa daquela faxineira da Nova Sede, que me disse: “Sérgio Vidigal despacha na prefeitura velha porque lá é o lugar dos velhos”, foi muito expressiva de um imaginário pós Audifax. Vidigal não se reciclou até o momento em termos administrativos, principalmente no que tange às potencialidades da internet. Um líder que não sabe se quer usar um e-mail, no mundo de hoje é inadmissível. Casagrande ao nomear duas lideranças emergentes da Serra seus secretários, provavelmente está preparando o cenário para ter um candidato a prefeito de terceira via. Caso essa polarização destruidora levar Audifax e Vidigal para a vala da rejeição mutua entre os eleitores serranos. O fato novo poderia ser Vandinho ou Roberto Carlos, conforme o desempenho de ambos nas pesquisas eleitorais.
Na conversa que tive com Vandinho no seu gabinete na Assembleia, o Deputado negou que tem interesse em disputar a prefeitura da Serra. Ele me disse que está focado em desempenhar um excelente trabalho à frente da Secretaria de Esporte e Lazer. Não está pensando em disputar a prefeitura da Serra por enquanto. Disse que já tem uma carreira política acelerada, considerando a sua idade precoce por estar no segundo mandato de deputado estadual. Vandinho está muito feliz por ocupar uma Secretaria que é a sua cara. Um lugar de promover felicidade, paz e conservação da saúde. O deputado acredita na força transformadora do esporte para atuar na redução da violência. Usar drogas não pode ser a única opção de lazer da nossa juventude. Esporte e lazer pode ser a solução a curto prazo.
Acompanhei um projeto do vereador José Luiz de Cariacica intitulado: “BOM DE BOLA DEZ NA ESCOLA”, que está conseguindo resgatar os jovens para uma vida saudável, longe dos entorpecentes e pequenos furtos. O vício no crack faz a pessoa furtar naturalmente como se fosse dela, impulsionado pela fissura para consumir a droga. No Estado inteiro deveria se implantar um projeto parecido. Por exemplo: “BOM DE BOLA BEM NA ESCOLA”. Usando a própria quadra esportiva da escola para preparar os times em disputa com os times de outras escolas. Poderia haver premiação para o time campeão. Isso geraria mídia e poderia chamar a atenção dos grandes clubes para os jovens talentos ao exemplo do que foi Ronaldo Fenômeno.
O mais importante é que junto ao esporte e lazer poderia se embutir a cultura da paz e conscientização sobre os malefícios das drogas e principalmente do crack. O governo vai ter que integrar mais secretarias no propósito de combater a epidemia de crack, responsável por mais de 70% dos crimes graves no Estado. Não adianta melhorar o sistema prisional e deixar uma grande motivação de crimes sem solução. A redução social do consumo de drogas poderá trazer uma grande economia para o Estado, em termos de políticas de saúde pública e profissionais de segurança. Enfim as possibilidades de uma Secretaria de Esportes e Lazer são bem maiores do que pensam alguns políticos. Fiquei pensando na empolgação pelo trabalho que percebi nesse jovem Deputado. Casagrande está montando uma ótima equipe! Que Deus ilumine esse governo que está entrando, para ele ser ainda melhor do que está saindo...

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Meu primeiro bolo de aniversário aos 51 anos


Nunca tive uma festa de aniversário, pior que isso, meu primeiro bolo de aniversário veio um dia depois de completar 51 anos. Minha namorada mora e trabalha em Aracruz e só comemorou comigo no sábado. Foi um grande prazer comer um bolo de mãos tão delicadas, ao ponto de passar na padaria antes e encomendar o confeitado delicioso. Tudo bem, comer no sábado o bolo do meu aniversário da sexta passada, o que é um dia de atraso para quem esperou a vida inteira por um bolo de aniversário.
Festa de aniversário tem que ser uma coisa coletiva. Não é legal você mesmo promover tudo. Até porque não tem o que comemorar o nascimento já passou há tanto tempo. Festa para um ano a menos de vida na terra. Porque a vida é uma longa caminhada ao encontro da morte, às vezes nem tão longa assim.
Não tire conclusões precipitadas não sou pão duro ao ponto de não comprar um bolo para meu aniversário. Esse papel é do outro que nos admira ou ama para comprar ou fazer um bolo.
Nasci na roça, numa família muito simples. Ao completar um ano de idade, nascia meu primeiro irmão. Minha mãe era muito jovem para cuidar de duas crianças de colo. Minha saudosa avó levou-me para morar com ela. Isso salvou a minha vida, pois meu primeiro irmão morreu de fome. Os outros irmãos vieram numa fase melhor e meu pai se mudou com a família para Belo Horizonte. Na roça não tinha escola, fui obrigado a abandonar vovó naquele fim de mudo. Na cidade grande meu pai até conquistou algumas propriedades e carros, mas bolo de aniversário que é bom nunca rolou. Mas nenhum outro irmão morreu de fome. Recentemente mataram o caçula, mais uma vítima da epidemia de crack que tomou conta de Belo Horizonte. Você nem imagina o quanto sofre a família de um usuário de crack.
Voltando ao meu primeiro bolo de aniversário, ideia de minha namorada, estou empapuçado. Veja na foto o quanto de bolo que sobrou para eu comer sozinho. Convidei um amigo para me ajudar, mas ele deu bolo...
O negócio é comer esse bolo todo sozinho mesmo, afinal de contas é o meu primeiro bolo de aniversário.

domingo, 19 de dezembro de 2010

RODNEY MIRANDA: A SEGURANÇA COMO POSICIONAMENTO DE MARKETING POLÍTICO


No site oficial do deputado eleito Rodney Miranda (DEM), encontramos logo na abertura a frase: “A epidemia do crack é responsável por mais de 70% dos crimes graves no Espírito Santo”. Na campanha eleitoral o ex-secretário, que não fez tanto assim pela segurança pública, aparecia de colete a prova de bala. Para mostrar que ele pessoalmente, como policial federal, era um homem de coragem, vimos reportagens onde Rodney aparecia de pistola na mão combatendo o tráfico de drogas na Grande Vitória. O que me chamou atenção foi a linha de posicionamento de marketing político do ex secretário de Segurança Pública do Estado. Um plano de marketing quase perfeito garantiu a Rodney Miranda a maior votação entre os deputados estaduais eleitos na eleição passada. Foram 65.049 votos na primeira eleição da qual participou. Ele atribui a vitória ao reconhecimento da população capixaba perante a sua atuação na secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social. Segundo o deputado eleito, no seu site oficial:
“Sempre tive confiança que seria eleito, mas não imaginava uma votação tão expressiva. Atribuo essa vitória ao reconhecimento e confiança da população capixaba. Estou ansioso para começar a trabalhar. Vou legislar pela segurança pública, mas também quero valorizar outras áreas”. Na verdade não foi bem assim, o que garantiu a maior votação, a um secretário de segurança polêmico, foi o apoio ostensivo de Paulo Hartung. Rodney na Secretaria de Segurança era como um peixe fora d’agua, por ser policial federal e mandar nas cúpulas de polícia militar e civil capixaba. Quando fiz pesquisas em parcerias com essas cúpulas eles diziam em off, que era desconfortável ter um policial federal acima deles, já que existem grandes talentos em segurança pública nas corporações, com capacidade de assumir a Secretaria de Segurança do Estado. Divergências à parte o que vimos na eleição passada foi o massacre dos Mauros. A votação ridícula de Max Mauro pai, em Vila Velha, foi o retrato fiel do resultado de uma violenta polarização com Paulo Hartung nos seus oito anos de mandato. Era como bater de propósito um fusquinha contra uma carreta carregada de granito. Max pai não tem lá tanta inteligência política para avaliar o quanto Vila Velha perdeu com a burrice desse grande líder. Burrice também para Max Filho que foi jogado na sarjeta junto com o pai. Como a segurança pública continua sendo o maior problema de Vila Velha, ganha força no PTB o nome do policial federal Paulo Cesar Gomes, que é amigo de Rodney Miranda. Paulo Cesar tem um perfil forte de quem vai bater de frente com os traficantes da Velha Cidade, que se renova a cada dia. Com a forte presença de Neucimar Fraga na eleição de Casagrande, dificilmente haverá espaço para os Mauros nos próximos 6 anos. Situação difícil para quem está sendo minado dentro do PTB. Acredito até que tenha o dedo de Paulo Hartung Gomes ai para inflar um outro Paulo que também é Gomes.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A incrivel força de uma pequena aranha, um exemplo para Suli Vidigal



Deus nos ensina as coisas de formas mais inusitadas, às vezes até no banheiro de nossa casa.
Estava deitado e deprimido com as questões jurídicas com um poderoso empresário da Serra. Que se apresenta sempre acompanhado de um casal de advogados. Sabe o que é ter o sagrado direito à propriedade violado por uma pessoa, de forma truculenta? É como perder a virgindade num estupro. O sentimento de rancor é o mesmo, a dor psicológica é a mesma, a dor física passa em poucos dias. O que está por traz disso é o fato de eu ter apoiado a deputada Sueli Vidigal e um vizinho, amigo do invasor, ter apoiado o Audifax. Depois da eleição o invasor tirou a faixa de Sueli Vidigal do meu terreno e derrubou a cerca...Voltando à aquela pequenina aranha, veja a lição de persistência que ela nos dá...

SUELI VIDIGAL SEJA PERSISTENTE, DEUS VAI OLHAR POR VOCÊ AS ARAPUCAS ARMADAS PELA SUA SUA CABEÇA POLÍTICA, CAIRÃO!!!!!

Deputada Sueli Vidigal, o tamanco caiu... Aproveita que a senhora está com os pés no chão, ajoelha para Deus limpar do seu coração todo rancor e desconfiança, digo Deus, não Sérgio Vidigal que se sente o próprio. Essas energias que estão no seu coração tem atraido coisas ruins. Infelizmente Vidigal está se distanciando do povo. Perguntei a uma faixineira na nova prefeitura, construida pelo Audifax, se Vidigal já estava despachando ali, no que ela respondeu, que ele despachava no lugar dos velhos. Que ali era um espaço de gente jovem. Ela é evangélica e espera que Ele vai voltar, digo Jesus, não Audifax que mais parece o Henri Cristo. O cara armou um monte de arapucas para pegar Sueli Vidigal, e o pior é que funcionaram todas. Imagina as arapucas que ele e o PSB vão armar para tomar a prefeitura de assalto. Como diz a Cris, minha namorada: "Meu Deus!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

SEGURANÇA PÚBLICA, NO NOVO GOVERNO DO ESPÍRITO SANTO!

O Governo Casagrande pensa a gestão do eixo estratégico de combate à criminalidade, a partir de 2011, com a integração de três secretarias ligadas diretamente à questão da Segurança Pública. O objetivo é reduzir a criminalidade e a violência de modo geral.
Segundo o site oficial do PSB:
“Três secretários já estão confirmados nas pastas de Segurança Pública; Gestão do Sistema Prisional e Medidas Socio-educativas; e Secretaria Integrada para Ações Estratégicas. São eles, respectivamente: Henrique Herkenhoff, Ângelo Roncalli e André Garcia. A outra secretaria que trabalhará integrada com as demais - a de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos - ainda não tem um responsável pela pasta. Cada secretaria terá autonomia e recursos próprios para investimentos.”
Notamos um esforço do Governador eleito, do vice e de toda equipe de transição, no sentido de atacar de frente o maior problema do Estado. Não vi ainda nenhum pronunciamento em termos de política pública para a saúde. Além das promessas de campanha não notamos um planejamento estratégico da saúde a exemplo do que já foi feito na Segurança pública.
“Segundo Casagrande, as secretarias vão ser coordenadas diretamente pelo gabinete do governador. Ele explicou, ainda, que além dos secretários, representantes dos Direitos Humanos, Ministério Público, OAB e Tribunal de Justiça estarão trabalhando juntos por uma visão integrada e estratégica de Governo. Nesse novo modelo haverá, por exemplo, maior espaço para atuação dos Direitos Humanos, uma reivindicação de diversos movimentos sociais.”
Fala-se em Comitê Gestor de Segurança pública, aumento do efetivo policial, investimentos em estrutura física e aplicação de penas alternativas para desafogar o sistema prisional. Lembrando que não podemos esquecer o fortalecimento da Defensoria Pública. A justiça no Estado trabalha com agilidade para resolver as demandas dos ricos que podem pagar vários advogados, enquanto tem gente que não deveria estar mofando na cadeia, por ter cumprido pena, ou por ser inocente mesmo.
Várias unidades prisionais foram construídas no Governo Paulo Hartung. Em 2003 eram apenas três unidades prisionais e vamos terminar o ano com 30 unidades. Agora, temos que investir em ressocialização, com penas alternativas e criação de novos espaços de defensoria pública e cidadania para acelerar os julgamentos. Não adianta falar em melhorias no Sistema Prisional sem falar em melhorias nos espaços de cidadania e justiça. Além da geração de empregos obviamente tem que haver melhorias na educação, saúde, iluminação, saneamento básico, pavimentação e inclusão social. A segurança pública melhora quando um conjunto de fatores melhoram os serviços públicos de modo geral.
FONTE
http://www.psbnacional.org.br/index.php/content/view/9188/Renato_Casagrande_anuncia_aAes_integradas_de_SeguranAa_Pblica_no_Governo.html

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Espírito Santo com mais detentos em sala de aula p...

Espírito Santo com mais detentos em sala de aula p...

Espírito Santo com mais detentos em sala de aula percentualmente

Segunda, 06 de dezembro de 2010
Em 2005 eu e uma auxiliar numa pesquisa sociológica sobre motivação de homicídio visitamos as unidades do Sistema Prisional na Grande Vitória. Alguns detentos reclamavam da falta de livros, jornais e revista para lerem enquanto cumpriam suas longas penas na cadeia. Não sou daqueles que defendem a pena de morte, antes pelo contrário, os detentos deveriam receber educação religiosa, valores e tradições capixabas. Principalmente empreendedorismo e formação profissional, de acordo com os níveis escolares.
Segundo relatório do Ministério da Educação (MEC) que trata da educação no sistema penitenciário brasileiro, “o Espírito Santo é o estado que tem percentualmente mais internos envolvidos em atividades educacionais.” Mas ainda falta muita coisa como biblioteca, salas de leitura, maquinário e oficinas para educação profissionalizante.
Nos dados publicados no site do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) podemos ver a comparação com os outros Estados da Federação “No estado, são 21,79% do total de detentos. O índice capixaba supera o percentual do país, que é de 17,3%. O Espírito Santo é seguido por Pernambuco, com 18%, e Rio de Janeiro, com 16,44%. O MEC teve como parâmetro dados do Ministério da Justiça e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Atualmente, mais de 1.100 internos do sistema prisional capixaba frequentam as salas de aula, que funcionam em 16 das 25 unidades prisionais do estado.” No entanto devemos ponderar dizendo que a má qualidade do Sistema Prisional em termos de superlotação e falta de infraestrutura prejudica em muito o rendimento escolar dos detentos.
 O programa educacional Portas Abertas para a Educação, que leva a educação para as prisões capixabas, foi instituído em junho de 2005 com o objetivo de proporcionar à população carcerária a garantia do direito à educação, à inclusão e à continuidade dos estudos no âmbito da Educação Básica regular para jovens e adultos.
 Candidatei-me para ser professor de sociologia ou filosofia nas unidades prisionais de Viana. Na esperança de poder desenvolver várias ações e levar educação aos mais excluídos de nossa sociedade. Espero ser contratado pela SEDU dirigida pelo meu amigo Aroldo lá dos tempos de UFES.
O discurso do secretário de Justiça, Ângelo Roncalli de Ramos Barros, na época foi muito interessante. "Nosso trabalho visa dar às pessoas que passam pela prisão ferramentas de transformação de sua realidade, e a educação e a qualificação são fundamentais neste processo." Concluiu.

O programa educacional é desenvolvido em parceria entre as secretarias de Estado da Justiça (Sejus) e da Educação (Sedu), que em 2009 cedeu 66 professores para ministrarem as aulas nas dependências das unidades prisionais. Atualmente funcionam turmas desde a alfabetização até o ensino médio, na modalidade Educação para Jovens e Adultos (EJA). A esperança é que além de professores o Estado invista em boas bibliotecas e equipamentos para ensino profissionalizante.
O perfil dos detentos capixabas por nível de instrução é de 6,6% de analfabetos; 10,3% alfabetizados; 50% com nível fundamental incompleto; 8,8% com fundamental completo; 13,5% com nível médio incompleto; 8,2% médio completo; 0,7% superior incompleto; 0,4% superior completo; 0,01% acima do superior; e 1,44% não informado.
Gostaria de trabalhar com esses 13,5% de estudantes de ensino médio, para despertar as noções básicas de cidadania com responsabilidade social. Muitas vezes as pessoas matam por falta de senso crítico para analisar melhor o cenário e optar por outra solução menos violenta.
Fonte: Site do CNJ
http://www.cnj.jus.br/index.php?option=com_content&view=article&id=9787:espirito-santo-e-o-estado-que-possui-mais-detentos-em-sala-de-aula&catid=1:notas&Itemid=169

domingo, 5 de dezembro de 2010

Violações de direitos humanos no sistema prisional do ES ficam sem resposta na ONU

As denúncias de tortura, execuções de presos e de perseguição a defensores de direitos humanos não tiveram resposta satisfatória dos representantes do Estado brasileiro em Genebra; apenas um genérico “reconhecemos todos esses problemas” foi dito pelo Secretário de Justiça do Espírito Santo, Ângelo Roncalli.
Aconteceu hoje em Genebra o evento paralelo “Direitos Humanos no Brasil: Violações no Sistema Prisional – o caso do Espírito Santo” no marco da 13ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, que objetivou dar visibilidade internacional à grave situação dos presídios do estado e discutir soluções para por fim às violações. Para tal, representantes do estatais foram convidados e estiveram presentes hoje em Genebra1.
O Conselho Estadual de Direitos Humanos do Espírito Santo, a Justiça Global e a Conectas Direitos Humanos expuseram, a partir de dados e fotos alarmantes, as graves e sistemáticas violações de direitos humanos no sistema prisional capixaba para um público de mais de 100 representantes de delegações diplomáticas, da própria ONU e de ONGs de diversos países reunidos em Genebra.
Dentre as denúncias apresentadas, destaca-se que no Espírito Santo várias pessoas foram mortas e esquartejadas dentro das celas nos últimos 3 anos. Em fevereiro deste ano, as ONGs promotoras do evento visitaram o estado e encontraram em uma unidade de detenção provisória (Cariacica) ao menos 500 homens mantidos em contêineres metálicos, onde a temperatura pode atingir 50°C. Também constataram na delegacia de polícia de Vila Velha que 235 homens estavam presos em celas cuja capacidade é de 36 pessoas. Os defensores de direitos humanos que buscam combater essa situação no estado vivem sob constante ameaça. Vale lembrar que, entre 1989 e 2003, ao menos 9 defensores de direitos humanos foram assassinados no Espírito Santo. Com relação ao sistema socioeducativo, as organizações vêm denunciando mortes e torturas dentro da Unidade de Internação de Adolescentes de Cariacica (UNIS). Em 24 de fevereiro último, 3 (três) porretes foram encontrados escondidos atrás do armário dos monitores durante uma inspeção supresa a essa unidade, realizada pela juíza da infância e juventude e pela Pastoral do Menor.
“A comunidade internacional agora conhece as violações de direitos humanos no Espírito Santo. Não dá mais para o governo capixaba voltar para o estado com o mesmo discurso com que chegou a Genebra”, afirma Bruno Alves de Souza, presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos do Espírito Santo, um dos panelistas do encontro. Para ele, a falta de respostas objetivas às denúncias apresentadas na ONU é finalmente um reconhecimento da existência de violações de direitos humanos, como a tortura, no sistema prisional capixaba. “Uma vez que há o reconhecimento, o governo não pode se furtar de combatê-las e cessar imediatamente as práticas violadoras”, completa Souza.
O que ficou evidente tanto pelos dados apresentados pelos representantes estatais como pelas perguntas do plenário, é que “o governo capixaba, para além de ampliação de vagas no sistema prisional, não tem tomado medidas de responsabilização pelas gravíssimas violações que vem ocorrendo naquela unidade da federação nesta última década. Neste aspecto, também ficou patente a omissão do Ministério Público e do Judiciário do estado do Espírito Santo”. Essa é a avaliação de Oscar Vilhena Vieira, diretor jurídico da Conectas, que completa afirmando que “o evento deixou claro que o Estado brasileiro não tem realizado o necessário esforço para por fim às violações e responsabilizar seus perpetradores no Espírito Santo”.
Para Tamara Melo, advogada da Justiça Global, que também esteve em Genebra “É importante lembrar que já há inúmeras recomendações produzidas pela ONU com relação às violações no sistema prisional e socioeducativo no Estado brasileiro. Mas como não foram cumpridas, precisamos estar aqui hoje, denunciando a realidade dramática no Espírito Santo.” Cabe ressaltar, ainda, que o Brasil assinou o Protocolo Facultativo da Convenção da ONU Contra a Tortura em 2007 e até hoje não implementou o mecanismo de prevenção da tortura contido nesta normativa e foi cobrado por isso durante a reunião.
Simultaneamente e articulado ao evento paralelo na ONU, acontecia em frente ao Palácio do Governo do Espírito Santo uma manifestação que reuniu mais de 150 representantes de entidades locais de direitos humanos, professores e estudantes universitários e intelectuais, que seguiram à Secretaria Estadual de Justiça para dialogar com autoridades capixabas.
O encontro foi organizado pela Conectas Direitos Humanos (ONG com status consultivo junto ao ECOSOC/ONU), Conselho Estadual de Direitos Humanos do Espírito Santo, Justiça Global, Centro de Apoio aos Direitos Humanos, Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Serra e Pastoral do Menor do Espírito Santo.
copiado do Site Justiça Global Brasil no endereço abaixo... 
http://global.org.br/programas/violacoes-de-direitos-humanos-no-sistema-prisional-do-es-ficam-sem-resposta-na-onu/

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Secretaria do Sistema Prisional Capixaba!

Uma das ideias que vem ganhando força na equipe de planejamento estratégico do próximo governo é a criação da Secretaria do Sistema Prisional. Um dos mentores intelectuais da proposta, o professor Guilherme Pereira, numa entrevista ao Jornal a Tribuna do dia 18 de novembro de 2010, justificou a necessidade da nova Secretaria no tamanho do sistema. “As vagas no sistema prisional do Estado cresceram e há necessidade de uma administração específica e compatível com o tamanho da área”. A importância do Professor Guilherme na equipe de transição vem crescendo, uma vez que ele faz o link com a intelectualidade da UFES. Ao exemplo de Paulo Hartung que abarrotou sua equipe de professores universitários da nossa querida Universidade Federal, Casagrande parece que segue essa formula do sucesso administrativo. O nosso Sistema Prisional é uma das partes mais fracas do Estado em termos de política de segurança. A visibilidade negativa do tema merece uma atenção especial. Acredito que uma secretaria exclusivamente voltada para a solução desse gargalo de injustiças e violências nas entranhas dos nossos presídios, já é um grande passo para a gente implantar uma cultura de cidadania e paz a partir do interior do Sistema Prisional. Numa pesquisa que fizemos em parceria com dois doutores em sociologia da violência da UFES, vimos, através de um levantamento do inventário das motivações de homicídios na Serra, que cadeia não deixa de ser uma escola de reciclagem de bandidos. O detento entra prático de um crime e sai especialista em diversos outros que aprendeu na convivência marginal com outros detentos. Outro lado bom da nova secretaria é que deverá reduzir o acumulo de funções dos delegados de polícia civil. Além de cuidar dos inquéritos policiais alguns delegados de polícia ainda precisam tomar conta de presos e administrar a delegacia, cuidando de seus funcionários. Eles não contam com uma governança, ao exemplo da cúpula da Polícia Militar que pode delegar ordem e cuidar do aperfeiçoamento intelectual da função. Pelas delegacias capixabas é muito comum encontrar delegado estressado com esse cruel acúmulo de funções. O certo é que a profissão de polícia no Brasil em qualquer seguimento está mal remunerada. Mesmo a nossa polícia federal que tem o maior salário médio entre as polícias brasileiras, ganha mal se comparando o salário das polícias federais de outros países. O profissional de polícia tem que ganhar muito bem para não precisar complementar a renda familiar com bicos em festinhas, fazendo segurança de padaria, etc. Ou ainda pior fazendo parte de milícia de proteção aos fortes traficantes em favelas e morros. Onde a polícia deveria ser o braço mais forte do Estado para combater o crime e a injustiça, não pode aceitar parceria de seus homens com traficantes entre outros criminosos.  Chegou à vez de dar solução a uma área que não teve atenção devida do governo que se finda. Esperamos que no processo da continuidade administrativa tenhamos avanços nessa área tão crítica e conhecida internacionalmente com muita visibilidade negativa.